Legendary Tigerman com Sean Riley, Garota Não, Lula Pena, entre outros, no Festival encontros do DeVIR, em Faro

O 3º momento do Festival encontros do DeVIR, realiza-se de 14 de janeiro a 25 de fevereiro de 2023, no CAPa – Centro de Artes Performativas do Algarve, em Faro, com o ciclo de programação “d’outra maneira”, composta por concertos, performances e espetáculos de dança, com os seguintes criadores: Sean Riley e The Legendary Tigerman, a garota não, Redo | NL, Lula Pena e José Laginha.

Depois de cumpridas as duas primeiras fases, num formato híbrido e com uma programação dirigida ao público escolar com o objetivo de sensibilização para a ecologia ambiental e social, o ciclo d’Outra maneira, que representa a fase final deste Festival, é destinado ao público adulto.


“Todos temos de mudar, de encontrar “Outra(s) maneira(s)” e não nos focarmos na ideia confortável e desresponsabilizante de ser os outros a mudar o Mundo e a invertera marcha galopante da crise climática, em direção ao não retorno. Fazer d’outra maneira é também assumirmos com firmeza a defesa da diferença e dos direitos dos seres humanos, dos animais e do reino vegetal.”, afirma José Laginha diretor artístico dos encontros do DeVIR.

O festival arranca no dia 14 de janeiro com um concerto de Sean Riley com The Legendary Tigerman. Partindo de onde tinham ficado em 2018 com “California”, álbum gravado em motéis durante uma road trip no estado norte americano, os músicos voltam agora aos discos com “Andaluzia”.

Na semana seguinte, a garota não canta a intervenção através de uma doce reflexão sobre os tempos que vivemos. Depois de ter lançado “2 de abril”, álbum de homenagem ao bairro homónimo onde cresceu, em Setúbal, a garota não apresenta uma viagem social, política, de quem luta com o coração e dá corpo, alma e voz a um projecto absolutamente único. 

No dia 28 de janeiro, apresenta-se no CAPa Blurred Lines, um dueto de dança e música entre Redo (vencedor do Cisne no Dutch Dance Days 2020) e Dominique (vencedor do Dutch Music Prize 2020). Ambos os artistas adoram colorir fora das caixas usuais. Redo, como breakdancer e bailarino contemporâneo, tem-se apresentado em diferentes espaços de dança. Dominique, percussionista, procura os limites entre a música clássica, contemporânea e eletrónica. No dia anterior, esta dupla vai dar um workshop de dança e música dirigido ao público escolar, onde explicam os seus processos que combinam música e dança.

A cantora, guitarrista, compositora e intérprete portuguesa, Lula Pena também vai marcar presença no Festival a 11 de fevereiro para apresentar temas do seu novo álbum “Archivo Pittoresco”. Com letras e poemas de escritores como: Manos Hadjidakis, Violeta Parra, o surrealista Belga Scutenaire ou de sua sua autoria.

O Festival termina no dia 25 de fevereiro com o espetáculo “e(u)co(m)lógica”, de José Laginha, uma trilogia sobre ecologia social e ambiental, que pretende promover uma mensagem de urgência – a necessidade de nos (re)pensarmos com vista à mudança.

Esta é a terceira e última parte desta 8ª edição do Festival Encontros do DeVIR, que reflete sobre a crise climática e os direitos humanos, através da reflexão a partir de várias expressões artísticas.

O Festival Encontros do DeVIR é uma organização da DeVIR/CAPa, estrutura financiada pela República Portuguesa – Cultura | Direcção Geral das Artes, conta com a coprodução das autarquias de Faro e Loulé e tem parcerias nacionais e internacionais.