Hugo Camelo  é o 27.º português a estrear-se em Vilamoura

Hugo Camelo, de apenas 19 anos, estreia-se amanhã (quinta-feira) em torneios do DP World Tour e procura seguir os passos de alguns dos melhores jogadores portugueses de sempre, como Ricardo Melo Gouveia e Pedro Figueiredo, que passaram o cut no Portugal Masters enquanto amadores, antes de tornarem-se profissionais.

Nas 15 edições anteriores do Portugal Masters, 26 jogadores portugueses participaram na prova. Hugo Camelo será o 27.º em 16 anos, uma demonstração da renovação de valores no golfe nacional.

Destes 27, só Filipe Lima e António Sobrinho não fizeram o percurso tradicional de iniciação num clube e posterior ascenção às seleções nacionais amadoras da Federação Portuguesa de Golfe (FPG), antes da eventual passagem a professional.

Ricardo Santos é o recordista de participações no Portugal Masters, indo jogar pela 13.ª vez, mas fê-lo sempre como profissional. 

Já Ricado Melo Gouveia, que este ano disputa a prova pela 11.ª vez consecutiva, passou o cut como amador em 2012, antes de voltar a fazê-lo como profissional em mais sete ocasiões. O seu 5.º lugar em 2017 (empatado com Filipe Lima) é a melhor classificação lusa de sempre no Dom Pedro Victoria Golf Course.

Pedro Figueiredo vai competir no evento de Vilamoura – que este ano distribui 2 milhões de euros em prémios monetários – pela 12.ª vez e também ele passou o cut como amador em 2011 e 2012, quando ainda estudava e competia na UCLA (Universidade Califórnia Los Angeles, nos Estados Unidos). Em 2014, já como profissional, “Figgy” foi o melhor português, no 30.º posto.

Para além de Ricardo Melo Gouveia e Pedro Figueiredo, só houve mais um amador português a passar o cut no Portugal Masters, Tomás Santos Silva, em 2015, repetindo a proeza como profissional em 2019.

É esse o desafio de Hugo Camelo, a viver uma época bem positiva. É o n.º1 do Ranking Nacional BPI (para amadores) e recebeu um convite da FPG para estrear-se, a partir de amanhã, em torneios da primeira divisão profissional europeia.

No mês passado, o amarantino que representa o Club de Golf de Miramar (em Vila Nova de Gaia), brilhou no Open de Portugal. Foi a sua estreia no Challenge Tour, a segunda divisão europeia, e tornou-se no primeiro português a passar o cut desde que a prova transitou para Royal Óbidos.

Hugo Camelo deu-se mesmo ao luxo de ter sido o melhor português na primeira volta, com 3 pancdas abaixo do Par, surgindo no top-5 aos 18 buracos.

«De 0 a 10, dou nota 10 à importância de passar um cut no Challenge Tour, tal como fiz no Campeonato Internacional Amador de Portugal», disse na altura Hugo Camelo, que considerou ainda ter feito «um torneio globalmente bom, onde aprendi muito como jogador». 

Nelson Ribeiro, o selecionador nacional da FPG, não tem dúvidas da justeza do convite atribuído ao seu jogador: «O Hugo jogou todas as competições a nível nacional, os Campeonatos da Europa (Individual e por Equipas), o Campeonato do Mundo, o Challenge Tour e tem dado sempre uma resposta muito positiva para quem tem tido primeiras participações nestas competições».

Quando há um mês jogou o Open de Portugal, Hugo Camelo estava ainda 100% dedicado ao golfe. Entretanto, já ingressou na licenciatura de Desporto da Universidade do Porto e esse facto até poderá trazê-lo mais descontraído para o seu primeiro Portugal Masters.

Hugo Camelo arranca amanhã às 9h30 do buraco 10, ao lado do inglês Richard McEvoy e do coreano Tae Hee Lee. McEvoy ganhou há exatamente 20 anos um torneio do EuroPro Tour no Oitavos Dunes, em Cascais. Depois disso somou mais três títulos do Challenge Tour e um do DP World Tour. Lee tem sido um jogador do PGA Tour China com quatro títulos internacionais.

O primeiro português a sair será Ricardo Melo Gouveia, às 8h00, do buraco 10, com o italiano Renato Paratore (dois troféus do DP World Tour) e o espanhol Sebastian Garcia Rodriguez (três do Alps Tour).

Segue-se Ricardo Santos às 9h10, também do buraco 10, com o italiano Lorenzo Gagli (um título do Challenge Tour) e o inglês Oliver Fisher (59 pancadas na segunda volta do Portugal Masters de 2018, a melhor volta de sempre do torneio, tendo um título do DP World Tour).

Tomás Melo Gouveia inicia a sua quarta participação na prova às 9h20, do buraco 1; Tomás Bessa começa o seu terceiro Portugal Masters às 9h20 do buraco 10; Vítor Lopes joga pela sexta vez o evento do Turismo de Portugal a partir das 13h40 do buraco 1; Pedro Figueiredo está marcado para as 15h50, também do buraco 1; e Pedro Lencart, o atual bicampeão nacional absoluto, disputa a competição algarvia pela segunda vez a partir das 13h50, do buraco 10, integrando o último grupo.

O torneio foi este ano reduzido a 120 jogadores por realizar-se numa altura em que luz natural desaparece mais cedo.

Entretanto, o Pro-Am de hoje (quarta-feira) contou com a presença do piloto de automobilismo Tiago Monteiro (que já correu na F1). Fez parte da equipa n.º8 do Turismo de Portugal, com os profissionais Will Besseling (Países Baixos) e Jorge Campillo (Espanha).

O melhor português foi Tomás Bessa, no 4.º lugar (-29), num conjunto com o profissional inglês Chris Paisley e os amadores Paul Melinis, Matt Carr e José Aragão, do Turismo de Portugal-6. Ganhou a formação n.º10 do Turismo de Portugal, com os profissionais Joakim Lagergren (Suécia) e Daniel van Tonder (África do Sul), associados aos amadores jacob Bramley, Adam Mulroy e James Malyon, com 34 pancadas abaixo do Par