Conferências Casa da Cidadania: “Conflitos e tumultos devidos à política em matéria religiosa na 1ª República em Portugal

O Edifício do Real Compromisso de Ferragudo, em Ferragudo, recebe no próximo dia 15 de outubro, pelas 16h00, as Conferências Casa da Cidadania: “Conflitos e tumultos devidos à política em matéria religiosa na 1ª República em Portugal (1910 – 1917)“.

Sinopse: A história da Democracia, iniciada com a Revolução Liberal de 1820 e a Constituição de 1822, que agora celebra o seu bicentenário, começou, na sua letra, por tornar todos OS portugueses iguais perante a lei, ponto fundamental para a institucionalização de uma cidadania. Não obstante, embora se aludisse à “livre comunicação dos pensamentos”, não passou a haver liberdade de pensamento nem mesmo liberdade religiosa.

O Estado Monárquico Constitucional Português foi um Estado Confessional e ser português era ser católico. Para além de pretender extinguir a instituição monárquica, assente na mera sucessão familiar, a 1.ª República teve também como objetivo fundamental instaurar a liberdade de pensamento e a liberdade religiosa, aprofundando assim a democracia e a cidadania. Pelas reações adversas que causou este desígnio tem sido interpretado como a razão da curta duração da 1.ª República, sem que, contudo, se tenha quantificado, seriado, cartografado e relacionado toda a série de conflitos que existiram com pretextos político-religiosos. Tendo-o feito apresentamos esses resultados, considerando os espaços do Continente e dos Arquipélagos dos Açores e da Madeira. Num último momento procedemos a uma análise comparativa entre esse universo de observação e o do Algarve.