Fabio Jakobsen prova que não há duas sem três em Lagos

O neerlandês Fabio Jakobsen (Quick-Step Alpha Vinyl Team) é o primeiro Camisola Amarela da 48.ª Volta ao Algarve, depois de impor-se ao sprint na primeira etapa, uma ligação de 199,1 quilómetros, entre Portimão e Lagos. Fabio Jakobsen venceu as três últimas chegadas da corrida a Lagos. Rui Oliveira (UAE Team Emirates), quinto classificado, foi o melhor português na etapa.
O nervosismo habitual na primeira etapa de uma competição importante provocou duas quedas, que limitaram o sprint a um grupo restrito. A Quick-Step Alpha Vinyl Team preparou bem a chegada e lançou Fabio Jakobsen para a vitória na etapa e para a Camisola Amarela Turismo do Algarve. O alemão Jordi Meeus (Bora-hansgrohe) foi o segundo a cortar a meta, mas acabou relegado por sprint irregular. O segundo foi, assim, o francês Bryan Coquard (Cofidis) e o terceiro Alexander Krtistoff (Intermarché-Wanty-Gobert Matériaux).
A primeira fuga desta Volta ao Algarve deu-se ao quilómetro 17, juntando quatro corredores: Asier Etxeberria (Euskaltel-Euskadi), Fábio Oliveira (ABTF-Feirense), Hugo Nunes (Rádio Popular-Paredes-Boavista) e João Matias (Tavfer-Mortágua-Ovos Matinados).
As equipas com aspirações ao sprint nunca deram grande margem ao quarteto. A vantagem máxima cifrou-se em 3m20s. A rédea curta foi suficiente, no entanto, para João Matias sair da jornada com a satisfação do dever cumprido, subindo ao pódio para vestir a Camisola Azul Lusíadas, símbolo de melhor trepador.
A fuga acabou a 35 quilómetros da meta, pouco depois de uma queda coletiva ter deixado o pelotão reduzido a menos de metade. Mas o abrandar de ritmo na dianteira permitiu nova reincorporação de corredores. A 12 quilómetros da meta outra queda voltou a “cortar” o pelotão, já em novo momento de alta velocidade, a caminho do sprint em Lagos.

Fonte: FPC