Município de Lagos adquire edifício do Armazém Regimental

Foi ontem assinado, entre o Exército Português e o município de Lagos, o auto de entrega dos Armazéns da Praça Infante Dom Henrique, mais conhecidos pela designação de “Armazém Regimental”. Adquirido pela Câmara, o imóvel passa a integrar o património municipal. Reabilitar e preservar este magnífico exemplar de arquitetura militar é o primeiro grande objetivo desta aquisição.

Propriedade até agora do Estado e afeto ao Ministério da Defesa Nacional, à responsabilidade da Unidade de Apoio do Comando da Logística, o edifício foi alienado por ajuste direto ao município de Lagos, mediante uma compensação financeira de 238 mil euros. O ato marca o culminar de um processo de contactos e negociações que decorria já há algum tempo.

A passagem do edifício para a posse do município foi feita pelo Tenente-Coronel Manuel José Mendes Cavaco, 2º Comandante da Unidade de Apoio do Comando da Logística, em representação do Exército.

Referindo-se à ocasião como um momento muito importante para Lagos, Hugo Pereira, presidente da autarquia, revelou que a prioridade do município é conservar este património, reabilitar o espaço, dotando-o de mais condições para a realização de atividades culturais, e devolvê-lo depois novamente à fruição da comunidade.

Situado na atual Praça do Infante e com uma área total aproximada de 234,00 m2, o imóvel, datado de 1665, foi construído para armazenar os produtos trazidos pelas naus que aportavam a Lagos. Na sua fachada principal ostenta, sobre cada uma das portas, um escudo de Armas do Reino do Algarve e, entre eles, a chancela do Conde de Avintes. Duas grandes portadas de madeira, encimadas por um frontão barroco, encerram o derradeiro exemplar de um conjunto de Sete Passos (oratórios) da Via Sacra que se encontravam espalhados pela cidade. Supõe-se que neste local terá existido a Igreja de S. Brás.