Alte recebeu o maior torneio de xadrez algarvio da última década

Jogou-se no passado sábado, na Escola Profissional de Alte, a oitava edição do Open de Xadrez de Alte que foi disputado por 80 xadrezistas, em representação de oito clubes da Região, o que já não acontecia, no Algarve, há mais de uma década.

Organizado pelo Loulé ++ Clube de Xadrez, com o apoio da Escola Profissional Cândido Guerreiro, da Junta de Freguesia de Alte, da Câmara Municipal de Loulé e da Associação dos Clubes de Xadrez do Algarve, o VIII Open de Alte manteve-se fiel às suas características iniciais: um torneio em que apesar de os resultados serem homologados para efeito de ranking internacional, há uma especial atenção aos jovens xadrezistas dos escalões de formação e um saudável convívio no final, ao ar livre e com castanhas assadas. 

A Junta de Freguesia de Alte manteve a tradicional inovação na premiação dos três primeiros classificados da geral e, depois de em anos anteriores ter oferecido troféus em madeira e em cerâmica, sempre produzidos por artistas locais, este ano presenteou os primeiros classificados com obras de arte elaboradas pelo mestre caldeireiro de Alte.

A Câmara Municipal de Loulé premiou todos os xadrezistas dos escalões jovens e a Escola Profissional Cândido Guerreiro cedeu, uma vez mais, as suas instalações para a realização da competição – que este ano ocupou todas as salas do rés-do-chão.

A cerimónia de entrega de prémios, que quase lotou o auditório da Escola (com 120 lugares sentados), decorreu em ambiente festivo e de grande fair-play, o que augura um bom Futuro para o Xadrez Algarvio. No dia em que um dos mais jovens jogadores algarvios fizer uma gracinha a nível nacional, a festa não vai ser só no seu clube, vai ser no Algarve inteiro… 

O grande vencedor da prova, a mais disputada e equilibrada de sempre, foi Luís Botelho, do Loulé ++,que cometeu a fantástica proeza de terminar invicto.

O melhor sub-08 foi Daniel Mihali, do Núcleo de Xadrez de Lagoa, os melhores sub-10, sub-12 e sub-14 foram, respetivamente, Illia Deynega, Afonso Oliveira e Titus Bittner, todos do Loulé ++. O escalão sub-16 foi ganho por André João, da AXAL e os sub-18 por Simão Monteiro, do Loulé ++. 

Nos veteranos, pontificou no escalão para maiores de 50 anos João Pacheco, da AXAL, e no Maiores de 65 destacou-se Imme van den Berg, do Loulé ++.

O melhor xadrezista da ADC Faro foi Carlos Fantasia, o melhor do Clube Recreativo Fuzetense foi Rose Kutrev, do Clube de Xadrez da Sociedade de Instrução e Recreio Messinense destacou-se Hélio Peixoto, do Clube de Xadrez de Portimão Hélder Correia, a Associação Filatélica e Numismática Gil Eanes teve em Luís Silvério o seu ponta de lança, e o Núcleo de Xadrez de Lagoa viu brilhar Pedro Pinto.

A melhor Senhora foi Ada van der Giessen, da ADC Faro, e o melhor classificado seu elo internacional foi Raúl Vela, do Loulé ++.