Restos de comida do Festival da Sardinha são transformados em fertilizante 100% natural

Este ano, a EMARP – Empresa Municipal de Água e Resíduos de Portimão marca presença no Festival da Sardinha e assume o compromisso, juntamente com o Município de Portimão, de apresentar aos visitantes um evento sustentável com uma edição mais amiga do ambiente, que aposta na circularidade, em escolhas eco responsáveis e na adequada gestão dos resíduos produzidos durante a iniciativa.

Com uma afluência de visitantes muito significativa, o primeiro dia deste evento gastronómico permite antever uma edição de grande sucesso. Pelo espaço dedicado à divulgação do projeto de Recolha Seletiva de Resíduos Orgânicos passou a Secretária de Estado do Mar e das Pescas, Teresa Coelho, assim como centenas de visitantes que tiveram a oportunidade de conhecer o processo de recolha de restos de comida, verificar se constam na área piloto e, em caso afirmativo, levantar o seu balde de sete litros.

A campanha de divulgação da Recolha Seletiva de Orgânicos, desenvolvida sob o mote “Está na hora!”, integrada no movimento “Portimão Valoriza”, tem o objetivo de sensibilizar para a importância de reduzir os impactes ambientais, com destaque para a recolha dos restos de comida, que serão desviados do aterro e transformados em fertilizante natural.

A operação implementada no âmbito de candidatura aprovada pelo PO SEUR (Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos), abrange 13.836 alojamentos, o equivalente a 19.353 habitantes (35 por cento da população), arrancou junto dos restaurantes, escolas e instituições particulares de solidariedade social das freguesias de Portimão e Alvor e neste momento já se estendeu à população residencial, através da ativação de 144 contentores de proximidade.