Medicina Hiperbárica da Marinha participa em estudo inovador na área da fertilidade

A participação do Centro de Medicina Subaquática e Hiperbárica (CMSH) no ensaio surge por proposta apresentada pelo Dr. Miguel Raimundo (Médico especialista em Ginecologia e Obstetrícia, e diferenciado em Medicina de Reprodução) que se encontra a realizar investigação nesta área.
Com este ensaio clínico, o CMSH espera contribuir para um maior conhecimento do impacto da Oxigenoterapia Hiperbárica nesta área e assim poder contribuir para ajudar um maior número de mulheres que sofrem com o mesmo problema.
Mais informação sobre o Centro de Medicina Subaquática e Hiperbárica
O Centro de Medicina Subaquática e Hiperbárica criado em 1989, foi o primeiro organismo no nosso país a utilizar a Oxigenoterapia Hiperbárica, não só para tratamento do acidente de mergulho, mas também como terapêutica co-adjuvante em diversas doenças, tanto em contexto militar como no apoio à sociedade civil. Colabora em diversas missões operacionais de mergulho como também participa no treino dos militares. Este centro baseia a sua prática de Oxigenoterapia Hiperbárica nas recomendações da European Underwater and Baromedical Society, entidade europeia que regula a prática desta atividade. Com este tratamento, consegue-se melhorar francamente certas situações de doença, interferindo positivamente na cicatrização de feridas, na recuperação auditiva da surdez súbita, no controlo das hemorragias nas lesões provocadas por radioterapia, na desintoxicação do monóxido de carbono, no controlo de infeções graves, entre outros. 
O Centro de Medicina Subaquática e Hiperbárica possui duas câmaras hiperbáricas que permitem tratar diversas doenças através da inalação de oxigénio puro em condições de pressão superiores à pressão atmosférica ao nível do mar.A participação em estudos de investigação é um anseio veemente do centro de forma a proporcional uma medicina cada vez mais vanguardista, desenvolvida e progressista aos cidadãos portugueses.