DiVaM apresenta Res de Roma em Milreu e No Jardim da Dúvida na Ermida de Guadalupe

As Ruínas Romanas de Milreu e a Ermida de Nossa Senhora de Guadalupe (Raposeira/Vila do Bispo) são os próximos palcos do DiVaM, com espetáculos agendados para dias 15 e 16 de outubro. Res de Roma, da Associação Recreativa e Cultural de Músicos, e o encerramento do projeto No Jardim da Dúvida, de O Corvo e a Raposa – Associação Cultural, são as propostas para mais um fim de semana com atividades culturais nos monumentos do Algarve.

Na próxima sexta-feira, dia 15 de outubro, na Ruínas Romanas de Milreu terá lugar a apresentação do projeto Res de Romacom sessões às 19h30 e às 21h00Trata-se de um espetáculo multimédia, que potencia uma reflexão sobre a dicotomia “pessoa” versus “mercadoria”, através de uma sátira onde os trabalhadores desgostosos de ROMA, uma empresa de trabalho temporário, onde se vende glamour, sucesso e excelência, sonham ser os seus próprios clientes.

A ideia é de José Jesus e Margarida Janeiro, o texto e encenação de Pedro Monteiro, com André Canário, Ana Beatriz e Armando Correia. A cenografia é da responsabilidade de José Jesus, a música de David Bastos, sendo a direção técnica de André Ribeiro e a produção de Patrícia Amaral, com apoio de Pedro Pinto.

Para mais informações e reservas: arcmusicos@gmail.com.

Ermida de Nossa Senhora de Guadalupe acolhe No Jardim da Dúvida, projeto que tem o encerramento previsto para o dia 16 de outubro, pelas 16h30, com a instalação sonora de Carlos Norton, e ainda uma peça performativa, de Leslie Fernández & Natascha de Cortillas, ativada pela ação do público. 

“De Sul  a Norte – um pedido de Água” integra, entre outros momentos, uma leitura coletiva de Salí a Buscar, da poeta Silvana Ceballos Reys. 

No Jardim da Dúvida é um projeto de arte contemporânea – de carácter multidisciplinar e centrado na problematização da noção de ‘lugar’ – cujas intervenções temporárias aconteceram  no espaço exterior da Ermida de N. Sra. de Guadalupe, desde o dia 25 de setembro, entrecruzando o trabalho de artistas de origens e percursos diversos.

Além de artistas residentes do Barlavento ao Sotavento, o projeto estende-se ainda ao hemisfério sul com a participação de duas artistas chilenas. Esta proposta interpela diversas conceções sobre o que é um jardim, qual a nossa relação com a natureza e como a vemos ou dela nos apropriamos. 

No Jardim da Dúvida integra o programa de Artes Plásticas da IV Edição de “Dias d’As Virgens Negras” 2021 e apresenta obras de Ana Celorico Machado, Bertílio Martins, Carlos Norton, Gustavo Jesus, Milita Doré, Tiago Batista e Susana de Medeiros. Curadoria e Produção de Ana Celorico Machado e Susana de Medeiros. Imagem gráfica de Susana de Medeiros. Divulgação de Luísa Baptista. Fotografia de Reinhold Spielberg.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *