IPSS e associações recebem receitas do carnaval de Loulé 2020

Prosseguindo o carácter solidário e beneficente que está na génese do Carnaval de Loulé, a Câmara Municipal atribuiu ontem um valor de perto de 70 mil euros, referente às receitas deste evento, a instituições particulares de solidariedade social e coletividades que integraram o corso. 

Esta verba diz respeito ao valor arrecadado com a bilheteira no desfile de 2020, o último ano em que o corso saiu para a rua, semanas antes do despoletar da pandemia no nosso país.

Com esta iniciativa, a Autarquia de Loulé pretende apoiar o trabalho levado a cabo por algumas IPSS do concelho, particularmente num momento em que as fragilidades sociais se acentuaram e que as ações nesta área são fundamentais. Por outro lado, a atribuição dos restantes 50% deste apoio financeiro às coletividades, associações e clubes que participaram no desfile é uma forma de premiar e enaltecer o envolvimento, o empenho e a criatividade com que o fizeram, demonstrando mais uma vez que o Carnaval continua a ser uma tradição bastante enraizada na comunidade local, mas também estimular as novas gerações para essa participação.

“Infelizmente, em virtude da conjuntura atual, este ano o Carnaval não pôde voltar à Avenida José da Costa Mealha e cumprir esta tradição que tanto diz ao coração dos louletanos e que atrai milhares de visitantes à cidade. No entanto, estamos aqui a atribuir as verbas do desfile de 2020, para apoiar estes agentes promotores da vida social do concelho numa altura em que é fundamental esta interajuda e cooperação para enfrentarmos os problemas que a crise sanitária veio agravar. Uma palavra de agradecimento às coletividades que mantêm vivo o espírito carnavalesco com o seu envolvimento no desfile”, afirmou o presidente da Autarquia de Loulé, Vítor Aleixo.

A Instituição de Solidariedade Social da Serra do Caldeirão, a ASMAL – Associação de Saúde Mental do Algarve, a UNIR – Associação dos Doentes Mentais, Famílias e Amigos do Algarve, a Associação Esperança e Paz e a ASCA – Associação Social e Cultural de Almancil são as cinco IPSS apoiadas nesta edição.

Relativamente aos outros 50% das receitas, o valor destina-se às seguintes associações que formaram grupos tripulantes ou apeados no Carnaval de 2020: Grupo Desportivo das Barreiras Brancas, EXISTIR – Associação para a Intervenção e Reabilitação de Populações Deficientes e Desfavorecidas, CDA – Clube Desportivo AlgarveGym, DOINA – Associação de Emigrantes Romenos e Moldavos do Algarve, Moto Clube de Loulé, GCL – Ginástica Clube de Loulé, TUALLE – Tuna Universitária Afonsina de Loulé, Corpo Nacional de Escutas – Agrupamento 290 – Loulé, Louletano Desportos e Juventude Sport Campinense.

Sublinhe-se o facto de o Carnaval de Loulé, desde a sua primeira edição em 1906, enquanto “Carnaval Civilizado”, sempre ter tido um papel de beneficência, começando por atribuir 200 “esmolas” a pessoas carenciadas do concelho. Nos anos 20 a sua organização começou a ser da responsabilidade da Santa Casa da Misericórdia de Loulé tendo como objetivo a atribuição de toda a receita do carnaval para o funcionamento do hospital de Loulé, que durante muitos anos foi considerado como referência na região do Algarve. Apesar da “profissionalização do evento que passou a ser também um dos principais cartazes turísticos da região, nos anos mais recentes a Câmara Municipal de Loulé retomou essa componente solidária.