Centro de Experimentação Agrária de Tavira – Projetos para o futuro.

A Direção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve (DRAP Algarve) deu início ao desenvolvimento do projeto integrado para reabilitação e sustentabilidade futura do Centro de Experimentação Agrária de Tavira (CEAT), polo da Rede de Inovação recentemente anunciada pelo Ministério da Agricultura, no âmbito da iniciativa “Alimentação Sustentável” da Agenda para a Inovação na Agricultura 20|30.

Assumindo a DRAP Algarve como prioritária esta iniciativa, também entendeu que será imprescindível a constituição de uma parceria com diversas entidades, por forma a ultimar esforços e maximizar sinergias, no sentido de criar uma estrutura de proximidade e promover dinâmicas locais e regionais, com foco na Dieta Mediterrânica.

Reconhecendo a importância do CEAT enquanto espaço agroambiental único, localizado em pleno coração da cidade de Tavira, eleita comunidade representativa da candidatura portuguesa da Dieta Mediterrânica a Património Cultural Imaterial da Humanidade, e conscientes da relevância do projeto em causa, a Câmara Municipal de Tavira, a CCDR Algarve, a Universidade do Algarve, a Ciência Viva, a Direção Regional de Cultura do Algarve, a RTA e a associação IN Loco, aceitaram o repto para constituição do comité de pilotagem desta parceria.

Para além da continuidade da manutenção e ampliação das coleções existentes no CEAT, como a coleção ampelográfica de castas de uva de mesa e de vinho (brancas e tintas), a coleção de alfarrobeiras, figueiras e a coleção de pêros de Monchique (entre outras), algumas destas, únicas no País; perspetiva-se:

– A criação da Quinta da Dieta Mediterrânica, integrada na nova geração de projetos (“quintas”) da Ciência Viva;

– A instalação do Centro de Competências / Interpretação da Dieta Mediterrânica;

– A possibilidade de retomar o processo de criação de um Museu do Mundo Rural do Algarve, num edifício já cedido ao Município de Tavira para esse fim;

– A instalação de uma horta urbana numa parcela de terreno, protocolada para esse efeito com a Câmara Municipal de Tavira;

– Abertura e disponibilidade para a realização de projetos de experimentação / investigação em parceria com outras entidades, nomeadamente a Universidade do Algarve.

É imperativo a existência de investimento financeiro que permita modernizar e reabilitar todo o espaço, incluindo edifícios, infraestruturas de apoio agrícola e equipamentos, bem como o rejuvenescimento e aumento de recursos humanos qualificados, sendo estes os maiores constrangimentos à implementação deste ambicioso projeto no CEAT.

Convicta de que estas iniciativas serão estruturantes não só para Tavira, mas para toda a região e para o País, a DRAP Algarve aposta assim numa ampla estratégia de salvaguarda material da Dieta Mediterrânica.